sábado, 7 de janeiro de 2017

Oficinas de Criação Literária N.E.T.I./UFSC. Edna Domenica Merola

Créditos foto Edna D. Merola
As Oficinas de Criação Literária destinam-se à canalização do potencial criativo do participante em prol do aprimoramento de sua expressão escrita, no estudo e prática das técnicas de redação. Realizam-se no NETI – Núcleo de Estudos da Terceira Idade – Campus Universitário da UFSC– Trindade – SC – Brasil. Quintas-feiras das 10 às 12 horas. Informações na secretaria do NETI. 

1- Para quem o curso se destina?
O curso é ideal para pessoa maior de 50 que decidiu: aprender técnicas para escrever sobre os assuntos de que gosta; praticar a escrita criativa com constância; participar efetivamente de um grupo de pessoas com metas semelhantes às suas em relação ao estudo e à vida. 
2-Quais são as atividades desenvolvidas?
Durante o curso o aluno irá 'jogar' os papéis de espelho e duplo durante as dinâmicas de psicodança; ler e construir esquemas (desenhos)  para a produção de textos; escrever textos inéditos. 
3- Quais são os quesitos esperados para a participação?
Ter cursado no mínimo o Ensino Médio Completo, gostar de ler e de escrever, saber enviar e responder e-mails.
4-Quais os avisos necessários para quem quer se inscrever?
‒ Não se trata de aula de Português, nem de psicoterapia, mas poderá contribuir para melhorar a escrita e o humor.
‒ Trata-se de aulas sobre Literatura e técnicas de Produção de Textos nas quais a Professora Edna Domenica Merola utiliza construtos da teoria moreniana de papéis e estratégias didáticas variadas (relógio de memórias,  átomo social, jogos de imaginação dirigida, jogos de dança espontânea) como aquecimento para a escrita.
6- Quais são seus fundamentos e metas?
As oficinas têm por fundamentos o Psicodrama aplicado ao ensino-aprendizagem de maiores de 50 anos. O projeto tem por metas exercitar habilidades cognitivas e favorecer interações sociais.
7- Qual é o seu mote?  
O curso ‒ formatado em oficinas ‒ é de maior complexidade do que uma proposta de oficinas independentes entre si. O grau de compromisso do aluno com o processo de aprendizagem é maior do que apenas ouvir as exposições da professora. Portanto, complexidade e compromisso garantem o aproveitamento do tempo que professora e alunos dedicam nesse convívio que tem por pano de fundo o processo ensino-aprendizagem.

Objetivos
– Treinar os papéis de narrador (2017.1) e de ‘eu lírico’ (2017.2);
– desenvolver o papel social de escritor por meio de sua complementação com o papel de leitor;
– facilitar as habilidades de interagir socialmente;
– treinar o papel de leitor/performer. 


Metodologia
As ações pedagógicas realizadas para favorecer o desempenho cognitivo e existencial recorrem a estratégias criadas para que o participante treine a habilidade de refletir sobre como estabelece vínculos, estreite a relação com a própria interioridade, e conheça dados culturais novos.
O papel de escritor (a) é apreendido pelo treino dos papéis de narrador (a) e de ‘eu lírico’.
O desenvolvimento do papel de narrador é treinado pelas atividades de criação de cartas, contos, fábulas; reescrita de mitos; e leitura de cartas, contos e crônicas.
O desenvolvimento do papel de ‘eu lírico’ é delineado por atividades que incluem a criação de imagens e da sua expressão pela linguagem metafórica e pelo uso da rima, da métrica e do ritmo.

Resultados
A vivência grupal possibilita que a maturidade possa ser experimentada como uma etapa de vida compactuada de forma vivaz. Cada participante desenvolve o papel de escritor (a) conforme suas aptidões, capacidades e motivações. A predisposição do participante para acessar dicionários, gramáticas, tábua de verbos, corretor do "Word" e demais recursos digitais faculta a aprendizagem da reescrita (revisão dos textos).

Histórico
O curso Oficinas de Criação Literária do N.E.T.I. teve início em março de 2013. Em agosto de 2017, iniciaram os trabalhos da décima turma de alunos, cuja escolaridade alternou (e alterna) entre o ensino médio e o superior. Os cursos ocorreram em sala confortável que conta com tecnologia adequada. Os alunos foram instigados a produzir textos originais. Os grupos foram geralmente heterogêneos, abarcando experiências de várias épocas de vida e de pessoas oriundas de: Florianópolis e demais cidades, principalmente da Região Sul do Brasil.
Em decorrência das oficinas, a professora produziu textos didáticos (vide Sínteses Semestrais) com objetivo de explicar elementos da produção escrita dos diferentes tipos de textos e de informar sobre a revisão e a formatação de textos. Os textos sobre a metodologia construída e seus fundamentos na teoria de papéis (MORENO, 1974) constam das publicações de MEROLA (2014, 2015 e 2016).
Nas oficinas do primeiro semestre de 2017 alunos e professora escreveram o livro Memória Compartilhadas que será lançado no dia 17/8/2017.


Sínteses semestrais


2015.2 ‒ Gênero Epistolar (cartas).

2015.1 ‒ Textos para Teatro

2014.2 ‒ Poesia e Audição de Música Popular.

2014.1 ‒ Textos Narrativos

2013.2 ‒ Textos Poéticos.

Fontes:

BUZAN, Tony. Mapas Mentais e sua Elaboração. São Paulo: Cultrix, 2005.

LODGE, David. A Arte da Ficção. Trad. Bras. Porto Alegre: L& PM Pocket, 2011.

MEROLA, Edna Domenica. Pedagogia do Psicodrama: a ação do grupo no desenvolvimento de papéis da pessoa idosa. Monografia de conclusão do Curso de Especialização em Atenção à Saúde da Pessoa Idosa. Orientadora: Maria Celina da Silva Crema. UFSC, CCS, N.E.T.I., 2015, 46 f.
____________ De que são feitas as Histórias. Florianópolis: Postmix, 2014.
____________ Cartas em Posfácio. In Diálogos da Maturidade. Postmix, 2016.

MORENO, J.L. Psicodrama. 2 ed, São Paulo: Cultrix, 1978.
___________ Psicoterapia de Grupo e Psicodrama. Trad. bras. São Paulo: Mestre Jou, 1974.

SCHIER, J. ; ALVAREZ, Â. M.; VAHL, E.; GONÇALVES, L. H. T. – 30 Anos NETI: o percurso de um modelo de educação permanente em Gerontologia. Extensio (Florianópolis), v. 10, p. 02-02, 2013.

SENE COSTA, E. Gerontodrama: a velhice em cena. (Estudos clínicos e psicodramáticos sobre o envelhecimento e a terceira idade.). São Paulo: Ágora. 1998.

ADENDO I - Planejamento, confecção e reescrita: fases da produção de um texto.

A escrita é um ato solitário. Na maturidade, é importante exercê-lo para ficarmos bem conosco e aprimorar a autoestima.
A escrita é uma forma de produzir conhecimento que pressupõe interação e encontro. Possui três fases: o planejamento, a confecção e a reescrita.
Segundo Antunes (2003), o planejamento pressupõe: delimitação do tema; eleição de objetivos; escolha do gênero; estabelecimento de critérios para ordenar as ideias; definir quem será o leitor e adequar a forma linguística.
Adultos escolarizados são capazes de cumprir a fase de planejamento do texto isoladamente, já que detêm autonomia. A exposição à interferência de oficinas pode tornar o processo mais gratificante. “Uma oficina tem por foco a reflexão sobre a própria prática educativa do participante, o que pressupõe que ele esteja desempenhando o papel em pauta e se disponha a realizar as propostas apresentadas pela ministrante e compartilhar com colegas os seus resultados.” (MEROLA, 2015, f 36).
Para Antunes (2003), a fase de confecção da produção textual implica na escolha das palavras e das estruturas das frases em conformidade com a situação de comunicação e com a garantia do sentido, da coerência e da relevância. A oficina de criação literária “é o espaço onde são oferecidas atividades práticas de criação pela palavra escrita, proporcionando novos conhecimentos e vivências.” (MEROLA, 2014, p 49).
Para Antunes (2003), na fase de reescrita (revisão), procede-se à análise do que foi escrito para decidir o que irá permanecer, o que será eliminado e o que será reformulado. Corrige-se a concatenação entre as partes (períodos, parágrafos, blocos de parágrafos), assim como os aspectos sintáticos, semânticos, pontuação, ortografia.
Na prática do aluno, o exercício de reescrita implica em reler o que escreveu, em pesquisar as dúvidas e em adequar o texto às normas linguísticas. A reescrita vale como exercício cognitivo e aprimora a capacidade de comunicar. 
Existencialmente, a fase de reescrita é revigorante, é pausa, é descanso, é o tempo de curtir o texto para melhorá-lo, para elaborar as ideias comunicadas, para refletir sobre os sentimentos expressos.
Nas Oficinas de Criação Literária, a análise linguística não é sistematizada em sala de aula. Minha meta como professora é que cada aluna retome o estudo da língua portuguesa do ponto que tiver necessidade e que passe a ler o suficiente para desenvolver a sua escrita. Outrossim, o Ensino Médio completo é pré- requisito para a inscrição e para os que não detêm tal grau de estudos, há cursos supletivos, no próprio NETI. As orientações dadas pela professora em relação à análise linguística ocorrem por meios digitais. Portanto, a responsabilidade pela reescrita dos textos produzidos nas oficinas incidirá sobre a própria aluna. 


REFERÊNCIAS

ANTUNES, Irandé. O trabalho com a escrita. In: Aula de Português – encontro e interação. São Paulo: Parábola Editorial, 2003, p. 26- 27.

MEROLA, Edna Domenica. De que são feitas as histórias. Florianópolis: Postmix, 2014, p. 49.
____________________ Pedagogia do Psicodrama: a ação do grupo no desenvolvimento de papéis da pessoa idosa. Monografia do Curso de Especialização em Atenção à pessoa Idosa, CCS/UFSC, 2015, f 36.


ADENDO II - revisar e avaliar, reescrever, digitar, comentar.
 MEROLA, E. D. Reescrita: o uso da norma culta. Maio de 2013. Disponível em
http://aquecendoaescrita.blogspot.com.br/2013/05/reescrita-de-texto-de-propria-autoria.html
 MEROLA, E. D. Comentar e apreciar literatura. Setembro de 2013. Disponível em
MEROLA, E. D. Recursos Digitais na Escrita:processo e produto. 05 de maio de 2014. Disponível em http://netiativo.blogspot.com.br/2014/05/recursos-digitais-na-escrita-processo-e.html
MEROLA, E. D. Produção Textual na Escola. Novembro de 2016. Disponível em


ADENDO III - Sobre a escrita criativa. MEROLA, E. D. - 


ADENDO IV - Sobre textos literários
ADENDO V - Sobre os livros de autoria da Professora da Oficina de Criação Literária do N.E.T.I.

ADENDO VI - Sobre a Pessoa Idosa
MEROLA, E.D. O Estatuto do Idoso e a Saúde. Disponível em
___________ Lições sobre cuidar e ser cuidado. Disponível em
___________ Atividade física e o Idoso. Disponível em
http://redeidosos.blogspot.com.br/2015/01/atividade-fisica-e-o-idoso-um-exercicio_30.html

ADENDO VII - Para quem deseja compartilhar seus escritos 

Quem quer presentear a família e os amigos com seus textos escritos a partir das oficinas pode aprender a fazê-lo por meios próprios. Digite seus textos em sua casa e leve para uma loja de xerox imprimir em formato de livreto (A5). Guarde a matriz impressa para usá-la nas datas em que irá fazer cópias para presentear. Enquanto isso, aprenda a fazer a encadernação artesanal. Consulte instruções disponíveis na Internet, como, por exemplo, o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=uS0EKtTcXQ8
Para aqueles que persistem com o desejo de serem autores independentes compartilho alguns passos para publicar um livro impresso:
1- Selecione dentre seus escritos ou projetos de escrita um título com mais ou menos 110 páginas;
2-Defina quantos exemplares você quer publicar;
3-Procure gráficas e peça orçamentos, por exemplo, para os itens: 
‒ Livro com capa colorida (costurada) e miolo em branco e preto com 112 páginas, tamanho A5; impressão 1x1; papel Offset 75 g/m2; capa couchê 250 g/m2 laminada brilho, acabamento brochura;
‒ Ficha catalográfica feita por uma bibliotecária;
‒ Inscrição do livro no ISBN. 
4- Passe a compor sua ‘poupança’ para a publicação. Faça de conta que o valor de cada exemplar é uma “ação” bancária e vá compondo sua “carteira”, conforme puder. Ex.: se o seu livro irá custar "x" por exemplar, você terá de estabelecer quantos múltiplos de "x" poderia reservar mensalmente para tal finalidade. Se o prazo parecer longo demais, opte pela publicação por editora digital (que costuma ser sem custos para autores).
5- Acostume-se a digitar seus textos no Word com padrões comuns de diagramação de livro: layout A5, time news Roman, tamanho 11 ou 12, espaço simples e justificado. Saber digitar e diagramar um livro é importante para uma escritora, pois uma gráfica considera isso à parte no orçamento, assim como a criação da capa. As editoras digitais oferecem capas comuns, mas você precisará ser capaz de diagramar e de postar seu livro sob os parâmetros dados por elas.
6- Aprenda a fazer capa no seu computador. A capa em A5 (tamanho comum de livro) deve ter 1748 pixels de largura por 2480 pixels de altura. O formato é em JPG. O peso não deve ultrapassar 2MB.
7- Aprimore sua escrita: use o corretor ortográfico do Word, consulte o dicionário, estude gramática.

‒ Links para consultas sobre o significado da palavra, a ortografia, o número de sílabas, a sílaba tônica.

‒ Links para estudos que envolvem a reescrita
Ortografia.

Pontuação

Concordância

Conjugação Verbal

Colocação Pronominal

Nenhum comentário:

Postar um comentário